Saturday, July 15, 2006

Experimentalismo vs. Teoria

Estava vendo um Mythbusters no qual eles tentam descobrir se uma bola de futebol americano com hélio voa mais que uma com ar atmosférico. Bom, qualquer pessoa com alguma noção de física, particularmente sobre empuxo e peso, saberia q uma bola de hélio tem uma densidade menor que a de uma bola com ar e q portanto terá uma massa menor. Voar mais ou menos varia porque temos que analisar o quanto as diferenças de empuxo e resistência do ar afetam...

Mas o fato é que durante o programa, um dos dois carecas ficou espantado quando botou as bolas com hélio e com ar na balança pra ver o peso das duas. E ficou espantado pelo fato de q a bola com hélio é consistentemente mais leve... e aí ele falou "eu deveria esperar isso uma vez q balões de hélio flutuam". Isso trouxe a tona uma das discussões q eu gosto: a do experimentalimo e da teoria. Vamos elaborar um pouco.

Um exemplo de experimentalismo é dizer que coisas mais leves demoram mais tempo para cair, como defendia a física aristotélica. Ao se ver coisas mais leves caindo e comparando com coisas mais pesadas caindo, chegou-se à conclusão da teoria acima.

Já um exemplo de "teorismo" é o fato de que durante o final do século 19, muitos cientistas provaram que era impossível para um objeto mais 'pesado que o ar' sair do chão. Qualquer um que voou de avião sabe q isso é beeeem possível (basta que o tal objeto mais pesado empurre ar pra baixo).

Acho que o jeito para lidar com este conflito é basicamente o seguinte. Quando vc se vê limitado pelos pre(con)ceitos teóricos, tente abordar a sua teoria com algum experimento não enviesado. Por outro lado, se vc está tentando fazer algo e não consegue repetidamente fazê-lo, volte para a prancheta.

E pra quem tá curioso, o mito das bolas é falso. E esse dado foi obtido experimentalmente. Apesar de que eu acho q isso varia das distâncias e força com a qual você trabalha (e iria para a prancheta).

No comments:

Post a Comment