Friday, December 08, 2006

Folhas caindo no outono

Bom, por alguma razão, pra vocês as folhas caindo no outono parece ser interessante... Então aí vai a minha singela descrição de como é quando as folhas caem no outono...

Bom, tudo começa com as árvores ainda com suas folhas verdes, saudáveis, alegre e fotossintetizantes.



Fotossíntese é o processo em que as folhas usam energia luminosa para reduzir o gás carbônico e produzir glicose. E o processo todo gira em torno de uma organela celular simpática e verde, o cloroplasto.




A razão pela qual o cloroplasto é verde vem justamente da sua função fotossintetizante. Ela está lotada de clorofila que é a molécula que se absorve a energia luminosa e o mecanismo é até interessante: o fóton colide com a clorofila e ioniza a molecula liberando dois elétrons que vão ser utilizados na reação global. As células da folha ficam continuamente regenerando a clorofila das moléculas para manter o processo de fotossíntese.

Bom, eis que de repente os dias começam a ficar mais curtos, o Sol mais baixo no horizonte e a energia menos disponível. E a fotossíntese passa a ser uma reação que não vale a pena mais e a árvore adota uma postura de "perder os anéis para não perder os dedos". Ela mata as folhas. Mas ela vai fazendo isso aos poucos. Ela corta a oferta de água e energia para a folha, que para de produzir clorofila. A luz solar ioniza as clorofilas restantes e a folha em pouco tempo passa a ser uma folha sem clorofila, água nem glicose.

A falta de clorofila faz com que o verde das folhas desapareça e as árvores que antes eram verdes ficam amareladas, alaranjadas, avermelhadas algumas até douradas. É bonito. Pode-se dizer que é no outono em que vemos as verdadeiras cores das árvores, cores que se escondiam atrás do verde pasteurizado da clorofila.



Mas a falta de água e energia causa um efeito mais grave ainda: ela mata as folhas. E as folhas, abandonadas por uma árvore ingrata tentando se salvar do frio do inverno, num último suspiro se atira ao solo. E isso forma tapetes amarelos nas ruas e nas calçadas. É bonito quando dura bastante. Mas aqui na Filadélfia as folhas cairam todas em um dia só, que foi um dia chuvoso e de tempestade. Uma coisa.

Depois que a prefeitura limpa tudo, a única coisa que sobra é a decadência das árvores sem folhas. Árvores que em uma cidade brasileira seriam consideradas mortas estão lá vivinhas, sem folhas, mas esperando o clima ficar mais ameno e o sol mais amigo. É quase um ato de fé achar que aquelas coisas ainda estão vivas. Mas eu sei que é só esperar a primavera.

Um fato interessante do processo todo é que quando as árvores estão peladas (ou seria galhadas?) você consegue ver coisas que antes ficavam cobertas por árvores! Não é a toa que o Google Maps usa fotos tiradas na época do outono! Vejam a diferença desse cemitério aqui na Philadelphia com o cemitério do Araçá em São Paulo, que não sofre de calvíce arbórea. Algumas coisas são bem notórias. Por exemplo, da janela da minha sala, onde antes tinha uma árvore na frente de um bosque, agora tem um monte de galhos que não atrapalha mais a visão do monte de galhos do bosque, que me permite ver as estufas do Departamento de Biologia que eu nem imaginava ver!

Bom, agora está chegando o inverno e está frio pra burro. Particularmente mais frio pq o aquecimento no meu apartamento parou de funcionar e agora eu preciso dormir debaixo de duas cobertas. Até acendi uma lâmpada incandescente na esperança de esquentar um pouco mais o quarto.

2 comments:

  1. Foi vc quem filmou o vídeo? Podia ter falado alguma coisa...

    ReplyDelete
  2. tbm acho que vc deveria ter falado alguma coisa!!

    ReplyDelete