Friday, July 06, 2007

Animais híbridos




Um dos animais híbridos mais conhecidos no Brasil é a mula, o resultado do cruzamento de um burro com um cavalo, mas como vemos na foto acima (não é Photoshop não!) é possível também uma mistura de cavalos com zebras. Mas o mais interessante para mim nessa história é que o padrão de listras, clássico nas zebras, não se reproduziu por todo o corpo do animal. Esse tipo de fenômeno é interessante porque ele evidencia uma das muitas questões que os geneticistas estão tendo que enfrentar hoje em dia. Como é que células geneticamente idênticas e que tem a mesma função, como as da pele, geram características diferentes em regiões diferentes do corpo? Aquela história de epigenética deve ser a explicação para o fenômeno acima: as células tronco da pele em algumas regiões do corpo podem ter sofrido algum tipo de silenciamento genético na via metabólica de expressão ou supressão das famosas listas da zebra...

Esse assunto também retoma, de certa forma, a questão da euploidia. Estes animais híbridos são estéreis justamente porque estas células vão possuir um número híbrido de cromossomos que terão dificulades de formar pareamento. Cavalos têm 2n=64 cromossomos enquanto que burros têm 2n=62 cromossomos. Mulas têm, portanto, 2n=63 cromossomos. É impossível um pareamento apropriado na meiose e os gametas dificilmente serão viáveis. O caso da zebra, com 2n=44 cromossomos, é ainda mais drástico. A zebra-cavalo acima provavelmente tem 2n=54 e também irá apresentar problemas de pareamento durante a segunda divisão da meiose.

Abaixo vai um vídeo do animal acima:



Via Scienceblogs.

1 comment: