Tuesday, July 03, 2007

Ombudsman no UOL

Para quem não viu ainda, o UOL resolveu abrir a posição de Ombudsman do portal. Para quem não sabe, Ombudsman é um agente de jornal que tem a responsabilidade de fazer uma crítica interna, às vezes a partir reclamações e comentários dos leitores, às vezes a partir de iniciativa própria. É basicamente uma forma para que o jornalismo cumpra sua "função social" de forma mais "isenta", se é que exista tal coisa.

Mas eu não quero discutir a existência de um Ombudsman num jornal. O que eu quero é marcar o tamanho da baboseira que é a instalação de tal posição num portal na internet. Hoje, na era da web 2.0, com blogs por toda a parte e fóruns onde leitores são capazes de registrar suas opiniões e zil comunidades no orkut, o cargo, que vai ser ocupado pela jornalista Tereza Rangel, já nasce obsoleto. E inútil, por o UOL ser um portal de conteúdo.

A grande maioria da carga de notícias do UOL é terceirizado. Vem material d'A Folha de São Paulo, de revistas, de sites como o Última Instância... arrisco-me a dizer que nenhum material é genuinamente produzido dentro do UOL. Então a ombudsman não terá muito o que fazer no que se trata ao enfoque das matérias contidas no link. Então o que ela vai fazer? Vai garantir que exista tempos iguais para matérias na capa do UOL? Vai garantir que na seção de Educação não tenha nenhuma notícia que deveria estar na seção de Esportes?

O Brasil ainda não conseguiu capturar todos os aspectos da internet ainda. Apesar da idéia da velocidade de propagação das notícias já ser um forte, falta ainda entender o conceito de que a internet é uma nuvem onde podemos depositar também nossas informações, publicar nossa idéias. A internet é uma estrada de mão dupla. Vejam a diferença entre o blog mais popular no Brasil em contraste com o blog mais popular do mundo. Não acho que o blog InterNey seja ruim nem nada assim, mas eu acho que é uma evidência da estrutura brasileira de consumo e produção de informação. Os blogs brasileiros são apenas uma transposição das colunas semanais de jornal, não contém aquele ambiente de conversa entre escritor e leitores, uma simetria, uma sensação de diálogo entre pares.

Acho que esse novo passo do UOL evidencia justamente esse descompasso entre a internet no Brasil e nos EUA. O sistema de portais que começa a enfrentar a concorrência de sites comunitários por aqui, perdendo para sites como o digg e technorati como fontes de informação. Já no Brasil as tentativas de fazer esse tipo de coisa, o eu curti e o blogblogs não conseguiram se popularizar. Não sei se isso tem a ver com o perfil do leitor, que necessita de uma autoridade de quem está produzindo um texto, ou se tem a ver com a qualidade dos blogs, que não inspirariam ainda confiança. Ou então está muito cedo ainda.

3 comments:

  1. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete
  2. Pô Rodrigo, eu to deixando seu comment aqui, mas isso aí está com cara de spam...

    ReplyDelete
  3. Deleta essa m***a aí em cima. É spam puro.

    ReplyDelete